Seminário São José

Seminário 2

Dentre as edificações suntuosas erguidas pela nobreza brasileira, em meados do século   XIX,  como símbolo de sua posição social e prosperidade econômica, podemos ressaltar que o Palacete da Soledade consiste num exemplo significativo da arquitetura senhorial oitocentista na Província do Rio de Janeiro.

Prédio de feições neoclássicas, tal palacete foi construído entre 1846 e 1849, para servir de residência a D. Francisca Elisa Xavier (1786 -1855), natural de Pati do Alferes, 1a Baronesa da Soledade (por decreto imperial de 02 de dezembro de 1854), grande proprietária de terras na região dos atuais bairros de São Lourenço e Fonseca, na época áreas essencialmente rurais, recantos bucólicos onde soberbas mangueiras, pés de ficus e oitis dominavam a paisagem. D.Elisa Xavier havia contraído matrimônio em 04 de setembro de 1804 com Manoel Francisco Xavier, capitão-mor da Vila de Nossa Senhora da Conceição do Alferes, açoriano, rico proprietário rural, senhor das fazendas Freguesia (atual Arcozelo), Maravilha, Santa Teresa e do sítio Cachoeira, todas as referidas propriedades em Paty do Alferes, na Província do Rio de Janeiro.

Em 1838, nas fazendas Freguesia e Maravilha, eclodiram levantes de escravos, sob a liderança de Manoel Congo, que se espalharam pela região cafeeira do Vale do Paraíba fluminense. A repressão aos rebeldes coube a Laureano Correia e Castro, Barão de Campo Belo, comandante da Guarda Nacional na região, resultando na prisão de escravos e na condenação de Manoel Congo à pena de morte na forca.

Viúva em 1840, D.Francisca Elisa empreendeu a construção de sua residência na Imperial Cidade de Niterói, então capital da Província fluminense. A edificação histórica, de dois pavimentos, coroada por um frontão triangular, foi posicionada sobre um outeiro cercado por palmeiras imperiais, a cavaleiro da confluência entre as ruas Genserico Ribeiro e Dr. Carlos Maximiano (antiga Rua da Soledade).

Parte significativa das terras do bairro do Fonseca tinham sido desmembradas de uma grande fazenda de cana-de-açúcar existente na região, propriedade de José da Fonseca e Vasconcellos e de sua esposa D. Dionísia Maria da Silva Sandoval. Dentre os senhores de terra que empreenderam benfeitorias na área supracitada, podemos assinalar o Brigadeiro João Nepomuceno Castrioto, Constantino Pereira de Barros (Barão de São João de Icaraí) e o Comendador Boaventura Ferreira Maciel (imortalizado na denominação da Alameda São Boaventura, inaugurada em 1909). A Baronesa da Soledade também teve seu título perpetuado na designação da Travessa Baronesa (atual Travessa Ari Pinto Lima).

Nos arredores do Palacete da Soledade existiu o Largo da Ponte de Pedra, logradouro alusivo à primeira ponte de cantaria lavrada erguida na então Vila Real da Praia Grande. A obra foi executada em 1820, sendo o arrematante do contrato Antônio Francisco Caetano; a referida ponte estava localizada sobre o Rio dos Passarinhos, exatamente no encontro das ruas de São Lourenço, de Santana (atual Benjamin Constant) e da Soledade.

Em virtude do falecimento da Baronesa, em 12 de outubro de 1855, sem deixar descendentes, o patrimônio do casal Xavier foi legado em grande parte a filhos de criação, adotados ao longo da vida. O palacete da Soledade foi deixado em testamento pela Baronesa à sua dileta amiga D. Francisca Airosa Galvão, filha do comendador Duarte Galvão e esposa do médico Dr. Mateus de Andrade.

Após muitos anos fechado, o venerando prédio foi doado à Diocese de Niterói em 1909, tendo abrigado o Palácio Episcopal, por iniciativa do Bispo D.Agostinho Benassi. Naquele mesmo ano o prédio passou a abrigar o Seminário Diocesano de São José, instituição ainda hoje lá sediada.

 

Seminário São José de Niterói
País Brasil
Diocese Niterói
Endereço Rua Dr. Genserico Ribeiro 59, Fonseca – Niterói
Reitor: Douglas Alves Fontes Contato:55 21 3717 – 1855

Prof. Ms. Cesar Augusto Ornellas Ramos
*Mestre em História Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Doutorando em História Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Sócio Efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Niterói (IHGN). Professor-pesquisador do Centro Universitário La Salle do Rio de Janeiro (UNILASALLE-RJ).

Outras informações: (21) 2717-1855 – Reitor Padre Douglas Alves Fontes

 Ajude na formação de novos sacerdotes.

Faça sua doação.




 

 

FacebookTwitterGoogle+PinterestTumblrWhatsAppLinkedInBlogger PostFacebook MessengerEvernoteEmailAOL MailGoogle GmailMySpaceWordPressOutlook.comPrint