História

História da fundação da Igreja particular de Niterói

Arquidiocese de Niterói

País Brasil
Dioceses Sufragâneas Campos, Nova Friburgo, Petrópolis e Adm. Apostólica São João Maria Vianey
Área 4,453 km²
Criação da Diocese 27 de abril de 1892

A Arquidiocese de Niterói (Archidioecesis Nictheroyensis) é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica, no Estado do Rio de Janeiro. Pertence ao Conselho Episcopal Regional Leste I da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, e a sede arquiepiscopal encontra-se na cidade de Niterói. Atualmente, o governo arquidiocesano está sob a responsabilidade do Arcebispo Dom José Francisco Rezende Dias.

A Diocese de Niterói foi erigida pelo Papa Leão XIII, a 27 de abril de 1892, através da Bula Ad universas orbis Ecclesias, a cuja jurisdição se subordinava o Estado do Espírito Santo. A Diocese do Espírito Santo seria criada pelo citado Papa, a 15 de novembro de 1895, pela bula Sanctissimo Domino Nostro, desmembrada da Diocese de Niterói, sendo seu Administrador Apostólico (de 1895 a 1897) o 1º Arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, D. João Esberard.

A razão de não ter sido Administrador Apostólico o 1º Bispo de Niterói, D. Francisco do Rego Maia, foi o fato de a sede de Niterói ter sido transferida, a 6 de junho de 1895, para a cidade de Campos, “pro tempore”. D. Francisco tomou posse a 2 de julho, na Igreja de São Francisco da Penitência, constituída Catedral, em virtude de decreto de Leão XIII , permanecendo, todavia, com o nome de Diocese de Niterói. Em consequência da Revolta da Armada, no tempo de Floriano, já havia D. Rego Maia fixado residência em Nova Friburgo, onde permaneceu durante um ano e três meses.

A 16 de julho de 1897, Leão XIII, desmembrando Petrópolis da Arquidiocese do Rio de Janeiro, para lá transferiu a nova sede do bispado do então Estado do Rio de Janeiro, tendo o referido D. Francisco do Rego Maia aí tomado posse, a 12 de setembro do referido ano.

Note-se que o Governo do Estado, dada a grave situação, com a cidade bombardeada, já havia transferido a Capital do Estado (Niterói), provisoriamente, para Petrópolis, em 1894, e pela Lei nº 89, de 1º de outubro do mesmo ano, a permanência foi dada como definitiva. Para sede do Executivo, foi adquirido o Palácio Rio Negro, que depois passaria para a União.

As finanças do Estado estavam muito abaladas. Quintino Bocaiúva afirmava ter recebido uma verdadeira “massa falida”, e não um Estado para governar. Todavia, o povo anelava por fazer regressar a sede do governo para Niterói, o que se deu, ainda no governo Bocaiúva. Seu sucessor, o senador Nilo Peçanha, adquiriu para sede do governo o Palácio do Ingá.

Dom Francisco do Rego Maia continuou, entretanto, a residir em Petrópolis, pois a sede episcopal só voltaria para Niterói a 25 de fevereiro de 1908, por Decreto do Papa Pio X. A Diocese de Niterói foi elevada a Arquidiocese e sede metropolitana, pelo Papa João XXIII, a 26 de março de 1960, graças à Bula Quandoquidem verbis, e seu 1º Arcebispo foi D. Antônio de Almeida Moraes Júnior.

O titular da igreja Catedral e Padroeiro da Arquidiocese é São João Batista, e Nª Srª Auxiliadora Padroeira, “aeque principalis “.

Confira a lista de Arcebispos e Bispos auxiliares

 

Nome Período Notas
Arcebispos
Dom José Francisco Rezende Dias 2011- …
Dom Alano Maria Pena, OP 2003-2011
Dom Carlos Alberto Etchandy Gimeno Navarro 1990-2003
Dom José Gonçalves Costa CSsR 1979-1990
Dom Antônio de Almeida Moraes Júnior 1960-1979
Bispos diocesanos
Dom Carlos Gouveia Coelho 1954-1960
Dom João da Matha de Andrade Amaral 1948-1954
Dom José Pereira Alves 1928-1947
Dom Agostinho Francisco Benassi 1908-1927
Dom João Francisco Braga 1902-1907
Dom Francisco do Rego Maia 1893-1901
Bispos auxiliares
 3° Dom Roberto Francisco Ferrería Paz 2008-2011
 2° Dom Paulo Lopes de Faria 1980-1983
 1° Dom José de Almeida Batista Pereira 1953-1955

 

 SECOM

FacebookTwitterGoogle+PinterestTumblrWhatsAppLinkedInBlogger PostFacebook MessengerEvernoteEmailAOL MailGoogle GmailMySpaceWordPressOutlook.comPrint