15
MAR
2017

Conheça mais sobre o projeto técnico da Nova Catedral

projetoA partir deste mês, iremos mergulhar um pouco mais nos aspectos técnicos do projeto da Nova Catedral, bem como trataremos de algumas peculiaridades e curiosidades bem interessantes, dessa grandiosa e bastante complexa obra de engenharia.

Começamos por um breve histórico: a área disponibilizada, onde será erguida nossa nova catedral, é parte integrante do antigo “Aterro da Praia Grande”, construído na década de 70. Executado em etapas ao longo do tempo, o aterro consolidou-se em camadas irregulares e de materiais distintos, formando um grande enrocamento, inclusive com blocos rochosos, oriundos das primeiras etapas da execução do aterro.

Para um mapeamento detalhado destas diferentes variações de solos existentes, assim como o exato nível d’água, foram necessários mais de 30 pontos de sondagens, distribuídos em todo o terreno, alguns atingindo cerca de 50 metros de profundidade. As informações adquiridas nessas campanhas de prospecção foram analisadas por empresas especializadas em fundações e estruturas, que chegaram a uma solução, buscando maximizar pilares de alta qualidade com menores custos financeiros e prazos.

Mediante as dimensões e singularidade do projeto, e no intuito de otimizar o fluxo mensal de recursos necessários, adotou-se a subdivisão da obra em quatro grandes fases, subdividas, também estas, em 8 fases distintas, conforme temos divulgado nas últimas edições do JNC.

A fase inicial procura obter licenças e autorizações para a execução, elaboração dos projetos técnicos, execução das sondagens e terraplenagem, possibilitando a implantação da obra. Essa fase encontra-se praticamente finalizada, com o término da terraplanagem e a renovação de algumas licenças junto aos órgãos responsáveis.

Em seguida, iniciamos a etapa atual, com a execução do cercamento do terreno, podendo assim, neste momento, dar início aos serviços de pré-obra, como concluir o isolamento do terreno, criar áreas de vivências, como vestiários, almoxarifados, escritórios e oficinas, com o objetivo de atender às necessidades do projeto e às normas. Para funcionamento do canteiro de obras e frentes de serviço, estão sendo realizadas ligações provisórias de água, esgoto, eletricidade e telefonia, de acordo com a demanda prevista para execução da obra. Neste período estamos providenciando todos os insumos para a execução das estacas.

Com a execução do gabarito, locação dos eixos e elementos estruturais, com o auxílio de uma equipe de topografia, para o correto posicionamento, iniciaremos o processamento das fundações com a execução de estacas, seguindo a especificação do projeto estrutural.

Estão previstas diferentes soluções de fundações para essa etapa: 1. estacas escavadas com alta profundidade para os pilares principais, 2. estacas tipo hélice, para as áreas de aterro e 3. estacas tipo raiz, para toda a área de enrocamento de pedras, aquelas com maior resistência.

Vale ressaltar que os três pilares principais têm 65 metros de altura e sustentam uma cúpula de 60 metros de diâmetro, tendo ainda uma cruz em aço, com 10 metros, no topo da igreja. No total, cada pilar sustentará uma carga de, aproximadamente, 8.500 toneladas, descarregadas em 10 estacas escavadas, com diâmetro de 1,50m e 50 metros de profundidade por pilar.

Para a sustentação da laje de piso serão executadas 21 estacas tipo raiz, com diâmetro de 50cm, 128 estacas tipo hélice, com diâmetro de 60cm, e 16 estacas tipo hélice, com diâmetro de 80cm.

Curiosamente, o comprimento somado das estacas a serem cravadas nessa etapa ultrapassa 5km, o que poderia contornar o Campo de São Bento 5 vezes, ou mesmo atravessar a Baía de Guanabara. Um volume gigantesco de aço e concreto, para sustentar aquela que será a Igreja-Mãe de nossa Arquidiocese.

A execução dessas estacas marca a finalização desta etapa, agora iniciada, prevista para os próximos 8 meses. Temos ainda muito trabalho pela frente… E a sua participação é fundamental! Faça parte dessa grandiosa obra de fé. Entre em contato conosco e saiba como ajudar.

Nas próximas edições, traremos outros aspectos interessantes sobre a construção de nossa Nova Catedral, para que você continue por dentro. Até lá!

Por Equipe de Planejamento e Gestão do Projeto
Imagem: reprodução do Niterói Católico

Deixe um comentário

*

captcha *